Projeto Reflora CBA vai restaurar vegetação nativa nos biomas Cerrado e Mata Atlântica

Compartilhe nosso Trabalho
Parceria da CBA com Instituto Votorantim e Reservas Votorantim vai beneficiar pequenos e médios produtores rurais das regiões da Zona da Mata (MG), Niquelândia (GO) e Vale do Ribeira (SP) interessados em realizar o reflorestamento de áreas degradadas de Reserva Legal (RL) e Áreas de Preservação Permanente (APPs) de suas propriedades. Inscrições para o projeto vão até o dia 12 de novembro. O edital completo com todas as informações e critérios de participação está disponível no link https://refloracba.com.br/ .
Legado Verdes do Cerrado. Crédito: Luciano Candisani.
Niquelândia (GO), 26 outubro de 2021 – A Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) lançou o edital que anuncia o Projeto Reflora CBA, voltado para pequenos e médios produtores rurais das regiões do Vale do Ribeira (SP), Zona da Mata (MG) e Niquelândia (GO) e interessados em realizar o reflorestamento de áreas degradadas de suas propriedades. O objetivo é buscar áreas dessas regiões que, juntas, possam somar 21 hectares e que estejam localizadas, preferencialmente, em um raio de 100 km dos locais de atuação da CBA, Legado das Águas e Legado Verdes do Cerrado.

Segundo Leandro Faria, gerente geral de Sustentabilidade da CBA, a Companhia, em parceria com o Instituto Votorantim e Reservas Votorantim, busca promover benefícios socioambientais cada vez mais significativos e duradouros nas localidades de sua atuação. “Isso gera um ambiente de valor compartilhado com uma operação sustentável e está em linha com a nossa agenda ESG e estratégia de desenvolver as comunidades com presença CBA, influenciando positivamente toda a cadeia de valor do alumínio. Nesse contexto, atuamos também com as nossas reservas privadas, em especial o Legado das Águas e o Legado Verdes do Cerrado”.

Como vai funcionar – O Projeto Reflora CBA fornecerá mudas e capacitação técnica que viabilizem o reflorestamento em áreas degradadas de Reserva Legal (RL) e Áreas de Preservação Permanente (APP), com uso de espécies nativas de ocorrência local. “Espera-se que as atividades de plantio e monitoramento sejam realizadas pelos proprietários e demais agentes locais, com supervisão e apoio técnico da CBA”, esclarece Faria.

A seleção das áreas que farão parte do Reflora CBA levará em consideração a situação dos documentos e eventuais passivos das propriedades e de seus proprietários ou posseiros. “Por isso, foram definidos critérios formais prioritários e adicionais. Os critérios prioritários serão eliminatórios e os adicionais vão gerar uma pontuação para classificação das propriedades e proprietários”, explica Faria.

A iniciativa é uma parceria entre a CBA, Instituto Votorantim e Reservas Votorantim. O prazo para inscrições vai até 12 de novembro. Para acessar o edital completo e fazer a inscrição os interessados devem acessar o link: https://refloracba.com.br/. Para outros detalhes, a empresa também disponibilizou um contato WhatsApp e email para possíveis dúvidas: 11 97099-0274 ou refloracba@institutovotorantim.org.br.

CerradoO Legado Verdes do Cerrado, Reserva Particular de Desenvolvimento Sustentável da região Centro-Oeste, localizada em Niquelândia-GO, fornecerá as mudas de espécies nativas e o reflorestamento para as áreas selecionadas pelo Projeto Reflora CBA. As mudas são produzidas no CPB – Centro de Produção de Biodiversidade do Legado Verdes do Cerrado, que há quatro anos exerce um importante papel para a conservação do bioma, por meio do cultivo de 50 espécies diferentes, com capacidade produtiva de 200 mil mudas que atendem a demanda de parceiros da Reserva, instituições e proprietários rurais.

De acordo com David Canassa, diretor da Reservas Votorantim, o projeto Reflora é uma oportunidade para produtores rurais se adequarem ao Código Florestal, mas, ao mesmo tempo, ampliar os corredores ecológicos da região, contribuindo com as vocações regionais de negócios baseados na natureza.

“Proprietários rurais são importantes parceiros do desenvolvimento sustentável. O Cerrado da região Norte de Goiás possui um enorme potencial de atividades econômicas, tanto na agropecuária quanto na nova economia. As Reservas Legais e as APP’s são essenciais para formar corredores ecológicos, que são importantes para o fluxo da fauna, flora e conservação da água. A floresta em pé também pode gerar diversos negócios, desde o ecoturismo à produtos alimentícios, beneficiando não só os empresários desses ramos, mas os proprietários de toda a região, com o giro da economia local. Estamos muito felizes em somar com o projeto, fortalecendo ainda mais a nossa parceria com a CBA. Com certeza trará muitos frutos”, comemora o diretor.
Sobre a CBADesde 1955, a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) produz alumínio de alta qualidade de forma integrada e sustentável. Com capacidade instalada para produzir 100% de energia vinda de hidroelétricas próprias, a CBA minera a bauxita, transforma em alumínio primário (lingotes, tarugos, vergalhões e placas) e produtos transformados (chapas, bobinas, folhas e perfis). Em estreita parceria com seus clientes, a CBA desenvolve soluções e serviços para os mercados de embalagens e de transportes, conferindo mais leveza, durabilidade e uma vida melhor.A CBA está bem perto de você. Acesse: www.cba.com.br. Conheça também a nossa agenda ESG em: http://esg.cba.com.br/.

Sobre o Legado Verdes do CerradoO Legado Verdes do Cerrado, com aproximadamente 80% da área composta por cerrado nativo, é uma área de 32,5 mil hectares pertencente à CBA – Companhia Brasileira de Alumínio, uma das empresas investidas no portfólio da Votorantim S.A. A cerca de três horas de Brasília, é composta por dois núcleos. No núcleo Engenho, nascem três rios: Peixe, São Bento e Traíras, de onde é captada toda a água para o abastecimento público de Niquelândia/GO. Nele, está localizada a sede, em uma área de 22,5 mil hectares, onde são realizadas pesquisas científicas, ações de educação ambiental e atividades da nova economia, como produção de plantas e reflorestamento; enquanto outros 5 mil hectares são dedicados à pecuária, produção de grãos e silvicultura. Já o núcleo Santo Antônio Serra Negra, que conta com mais 5 mil hectares, mantém o cerrado nativo intocado e tem parte de sua área margeada pelo Lago da Serra da Mesa.Acompanhe o Legado Verdes do Cerrado no Facebook e Instagram:www.facebook.com/legadoverdesdocerradowww.instagram.com/legadodocerrado

Texto e fotoo: colaboração da Assessoria de Imprensa CBA – FleishmanHillard Brasil

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*